Liberdade e libertação: do absoluto ao processo

Entre Nós

20Semana passada realizei a prova de uma das fases de um processo seletivo para mestrado. Foram sorteados 2 temas de 8 e eu, candidato, tinha a possibilidade de escolher um deles. O tema que escolhi para desenvolver um texto filosófico foi “Liberdade e Necessidade”. Tendo que necessariamente escrever sobre esse tema, e ao mesmo tempo tendo liberdade de escolher como o faria, desenvolvi a passagem de um absoluto para um processo. Me percebi fora do lugar comum. Assumi minha posição latino-americana

Para explicitar o desenvolvimento da luta de classes na história, Engels escreveu que “os homens fazem sua própria história, mas não escolhem as condições a partir das quais hão de construí-la”. Tal afirmação coloca, de pronto, um modo diferente da discussão clássica do problema necessidade-liberdade: os homens são livres para construir sua história, mas a partir de condições necessárias anteriores. Há liberdade no ato, mas limite de condições materiais disponíveis. Com isso, só é…

Ver o post original 1.080 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s